sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

A Fala Final de Lula


Aliás, um ponto que não pode deixar de ser lembrado: Ontem, Luís Inácio Lula da Silva fez seu último pronunciamento como Presidente da RepúblicaFim de papo e fim de uma era. Oito longos anos passados em flash, a saga do presidente-operário chega ao fim e pela última vez o Lula-mandatário falou em rede nacional neste papel. Entre altos e baixos, foi o primeiro governo brasileiro a combinar desenvolvimento econômico com o social - e a construir isso em um cenário de respeito às liberdades coletivas e individuais. Também foi o governo que ousou tocar o único gênero de política externa cabível a um país como nosso, altiva e ativa que só ela. Tropeçou, é verdade, no que diz respeito à política-política, a política em seu sentido estrito, seja no relacionamento com as instituições ou no que toca a tentativa de reforma-las - ou mesmo avançar no desenvolvimento de mecanismos de participação. Também falhou na tentativa de considerar o dado ecológico na sua política de desenvolvimento econômico - assim como fez, exitosamente, com o dado social. Mas entre esses altos e baixos, acertou muito mais do que errou. Muito ainda se falará desse período nos livros de História - aquela Narrativa que nunca terminou, mas cujo desejo de conta-la quase se perdeu assim como a própria consciência do seu caminhar, não teve muito tempo. O sistema político que temos pode ser uma das peças encenáveis dentro da grande arena política, mas dentre todas, é aquela que me parece a melhor; ao menos aqui a plateia pode escolher os atores, embora não escreva a peça nem defina as personagens - mas como ator, ninguém conseguiu imprimir tamanho significado à personagem de Presidente da República, nem interagir tão bem com a plateia que o escolheu, quanto o fez o meu querido conterrâneo Lula. Sim, a democracia no fundo é isso e eu voto nos atores que me fazem sorrir, chega de trágicos. 

4 comentários:

  1. Euclides F. Santeiro Filho24 de dezembro de 2010 19:15

    Olá, Hugo.

    Pelo modo como você analisa as coisas, gostaria muito de bater um papo mais detalhado contigo, a respeito de algo que considero importante. Por aqui fica difícil, será que você pode me passar um contato de e-mail no kidsanteiro83@hotmail.com?

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Euclides, o meu e-mail de contato é "htaa1987@gmail.com"

    abraços

    ResponderExcluir
  3. Gostei da metáfora da democracia liberal/representativa e o palco. Se as massas escolhem os atores, quem dirige a peça?

    Um abraço e boas festas!

    ResponderExcluir
  4. Luis,

    Quem controla aquilo que serve para produzir, naturalmente. Só não chamaria isso que temos hoje de "democracia liberal", dado que ela é uma grande colcha de retalhos formada por uma série de correntes de pensamento - haja vista que o conceito de liberalismo remonta ao início do século 19º e, mais até do que isso, a própria democracia clássica já trazia esse aspecto, digamos, teatral...

    abraços e boas festas

    ResponderExcluir