segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Frente pela Legalização do Aborto no Brasil

Segue aqui um informe sobre a Plataforma para a Legalização do Aborto no Brasil. A minha posição sobre o assunto é clara, você pode ser contra ou a favor do aborto, mas não pode esperar que sua objeção pessoal e privada sirva de medida para determinar a vida das outras pessoas e do corpo social como um todo. Do contrário, caímos aqui em um autismo normativo-policial que pode transformar as já não pequenas limitações do nosso sistema político em uma contradição indissolúvel.


Plataforma para a Legalização do Aborto no Brasil será lançada no dia 28 de setembro
A Frente Nacional Contra a Criminalização das Mulheres e pela Legalização do Aborto vai novamente às ruas, no próximo dia 28 de setembro, para reivindicar o direito ao aborto legal e seguro. A data vem sendo marcada nos últimos 20 anos por manifestações de mulheres em toda América Latina e Caribe, conhecida como Dia Latino-americano e Caribenho de Luta pela Legalização do Aborto. Atualmente, são realizado mais de 1 milhão de abortos ilegais por ano no Brasil, o que coloca a prática como a terceira causa de morte materna no País, segundo o Dossiê do Aborto Seguro, lançado pelo instituto IPAS, em maio deste ano. O aborto ilegal e inseguro também é causa da violência institucional e discriminação das mulheres no sistema de saúde.
Além da defesa da legalização do aborto no Brasil, a Frente Nacional volta às ruas este ano para denunciar o processo de criminalização que as mulheres vem enfrentando no último período, como o caso da clínica do Mato Grosso do Sul que supostamente fazia abortos. Cerca de 10 mil mulheres tiveram suas fichas médicas violadas e outras 2 mil ficaram sob ameaça de indiciamento. No início de abril deste ano, as profissionais que trabalhavam na clínica - três auxiliares de enfermagem e uma psicóloga - foram levadas a juri popular, sendo condenadas sem nenhuma prova. Foram condenadas ainda, também sem provas, a trabalho comunitário, outras mulheres que supostamente praticaram aborto nesta clínica.
Acreditando que a saúde da mulher necessita ser discutida de forma séria, respaldada na realidade e em uma política coerente, principalmente em ano eleitoral, as organizações que compõe a Frente Nacional Contra a Criminalização de Mulheres e pela Legalização do Aborto elaboraram uma Plataforma para a Legalização do Aborto no Brasil, que será lançada, em São Paulo, no ato do dia 28 de setembro. Em defesa da vida e da liberdade das mulheres, a plataforma aponta as necessidades não apenas relacionadas a discussão do aborto legal e seguro, como ao atendimento da saúde da mulher pelo SUS, a garantia de uma saúde pública e à maternidade plena.

A Frente - Após o fechamento da clínica de planejamento familiar do Mato Grosso do Sul, em 2008, a Frente Nacional Contra a Criminalização de Mulheres e pela Legalização do Aborto foi articulada por mais de 100 entidades feministas ou não, espalhadas por todo território nacional. Teve importante atuação na desarticulação da CPI do Aborto e agora lança sua Plataforma para a Legalização do Aborto no Brasil.
28 de setembro - Importante data do calendário feminista em defesa da saúde da mulher, 28 de setembro é o Dia Latino-americano e Caribenho de Luta pela Legalização do Aborto. Neste ano, o ato acontecerá na semana anterior ao pleito eleitoral, o que ressalta a necessidade de nós, mulheres de luta, sairmos as ruas em defesa do que já nos é assegurado e propor avanços nesta pauta.

Serviço: 
Ato da Frente Contra a Criminalização de Mulheres e pela Legalização do Aborto
Dia 28 de setembro às 16h na Pça do Patriarca


Contatos:
Luka 8752-2369


2 comentários:

  1. vc estará por lá?

    tentarei cobrir. abraços e até lá :)

    ResponderExcluir